Tecnologia | Vamos falar de TV Digital

Olá amigo leitor! Demorei mais estou de volta e com um assunto muito legal.

A TV Digital ou DTV está avançando de forma rápida por todo o território nacional. Trata-se de uma tecnologia que não é nova, apenas demorou a chegar no Brasil e que melhora e muito a qualidade de som e imagem.
O padrão de TV digital brasileiro é o mesmo padrão usado no Japão. Essa escolha foi feita depois de uma avaliação da capacidade de transmissão, operação de equipamentos e a facilidade para implantação. Além disso, vale ressaltar que é um dos melhores padrões do mundo em termos de TV Digital.
O que se ganha?
Lembra da época em que você tinha que sair para ficar rodando a antena de um lado para o outro, esperando uma imagem boa para ver a novela e o futebol? Isso não existe mais, chega de ficar gritando “Ta bom?!” no quintal de casa.
O Sinal Digital é muito superior e varia em qualidades HD e FullHD e ainda SDTV, além da possibilidade de rádios. Para não complicar, HD é a a qualidade de alta definição, FullHD é a alta definição melhorada com mais linhas para imagem e SDTV é quando transmitem programas e filmes que foram produzidos no formato analógico através do Sinal Digital. Geralmente a tela apresentada fica menor ou a qualidade da imagem piora nesses casos. Atenção, piora a qualidade da imagem do programa transmitido e não a do Sinal Digital.
Ainda haverá a INTERATIVIDADE com o conteúdo transmitido, mais isso ainda é pouco explorado ficando no básico, lista de canais, horário e agendamento.
Com o sinal digital não há mais chuviscos ou fantasmas e a qualidade de som e imagem chega a ser superior a de muitas TVs pagas.
Interferências?
Pode haver, mas são muito raras devido a qualidade do sinal. Contudo elas geralmente são falta de sincronia entre som e imagem, travamentos ou ainda queda de sinal. No entanto todas essas são muito difíceis de acontecer.
Se você estiver em uma região onde ja exista o sinal digital, você vai pegar tranquilamente os canais da sua região, desde que eles estejam transmitindo o sinal. Senão o jeito é usar a antena antiga!
Pode ser que mesmo em uma localidade onde ja exista a transmissão você pegue apenas um, dois ou poucos canais. Isso ocorre devido a posição da sua antena que pode está errada, pela ausência de mais canais digitais sendo transmitidos ou posição baixa da antena.
Aqui no DF, o sinal ja existe mais só consigo assistir os principais, Globo, SBT, Record, Câmara, Senado, Rede Vida (se não me engano) a TV Local (Tv Brasília e Band) não consigo sintonizar.
Vale lembrar que nem todas as Tvs ainda estão aptas a transmitir no formato digital, por isso sua programação só aparece no modo analógico. Masssssss devagarzinho isso está mudando.

Preciso ter uma tv moderna e bonitona pra assistir a TV Digital?

Não dona Maria! Não precisa.
Você pode ter a qualidade superior da TV Digital em qualquer aparelho de TV, moderno, que já vem com receptor/conversos embutido ou antiga, aquele caixão grande e pesado que é horrível de carregar. Nesse caso, você precisa ligar um Receptor de TV Digital nas entradas de vídeo componente (iguais aquelas que usamos para conectar DVD).
IMPORTANTE!
Para qualquer TV, seja nova ou velha você vai precisar ter uma antena UHF. Sem essa anteninha não tem graça e você não vai pegar o sinal digital. O preço dos equipamentos, Receptor para TV Digital e Antena UHF são bem acessíveis e só mais uma coisa, o sinal é grátis, você não paga nada para assistir, basta ter o equipamento.

SpringNow participa do Picnik no aniversário de Brasília

A SpringNow, marca brasiliense especializada em rolinhos primavera de alto padrão, participará da edição de aniversário de três anos do Picnik, na próxima terça-feira (21), data em que também serão celebrados os 55 anos de Brasília. Quem for ao evento, realizado das 13h às 22h, no estacionamento 4 do Parque da Cidade (em frente ao Gibão), poderá se deliciar com as receitas especiais da casa, localizada na 105 Sul. A entrada é gratuita.
Esta é a quarta vez que a SpringNow participa do Picnik. Nessa edição, serão servidos três sabores salgados e um doce: alho-poró, carne seca com queijo coalho, frango com cream cheese e doce de leite argentino, a R$ 10,00 (duas unidades) ou a R$ 15,00 (três unidades). Para acompanhar, a casa oferecerá chá mate SpringNow, a R$ 5,00 (400ml).
Tradicional na cidade, o Picnik é um misto de sunset party e mercadinho descolado, com a exposição de produtos de arte, moda e gastronomia em espaços públicos e icônicos de Brasília. Durante essa edição, os brasilienses poderão aproveitar uma extensa programação com DJs, apresentações circenses e teatrais, workshops e atividades esportivas, entre outros.
A SpringNow
Primeira do país especializada em rolinhos primavera de alto padrão, a marca abriu sua primeira loja em 29 de maio de 2014, na 105 Sul. No local, são oferecidos cerca de 30 recheios diferentes, assinados por chefs e elaborados com massa exclusiva, conhecida por ser fininha, sequinha e crocante.
Para o aniversário de Brasília, a marca lançou cinco novos sabores criados por cinco chefs da cidade, a R$ 7,90 cada. São eles: de cordeiro com damasco e baru (Lídia Nasser, do Empório Árabe); de pernil com geleia de cagaita (David Lechtig, do El Paso Cocina Mexicana); de frango e legumes ao curry com chutney de banana (Alexandre Albanese, do Nossa Cozinha Bistrô); de linguiça na cachaça servido com molho ancienne (Renata Carvalho, do Loca Como Tu Madre e do Ancho Bistrô de Fogo); de camarão ao molho de queijo brie, morangos e champagne (Mara Alcamim, do Universal Diner). Os rolinhos primavera da edição comemorativa de aniversário de Brasília ficarão disponíveis até 3 de maio, somente na loja da marca, na 105 Sul.



SpringNow no Picnik

Em 21 de abril (terça-feira), das 13h às 22h, no estacionamento 4 do Parque da Cidade (em frente ao Gibão).

SpringNow

SCLS 105, Bloco C, Loja 12; 3242-4068.

De terça a sábado, das 12h às 23h. Domingo, das 17h30 às 23h.



Fonte: Assessoria Naiobe

Ya Brasília

Jeff Estúdio de Ideias

Ter ideias é uma coisa muito legal, mas as ideias ficam ainda melhores quando podem ser aproveitadas. Um desenho, uma arte, um evento, seja qual for o tipo de pensamento ele merece atenção e planejamento. As ideias surgem derrepente mas a ação que as faz tornarem realidade são um pouquinho mais trabalhosas.
Pensando nisso criei este singelo espaço. Um lugar para se trabalhar na realização das ideias e sonhos. Venha trabalhar comigo e coloque sua ideia para funcionar!
Áreas de atuação:

– Redes Sociais
– Material impresso
– Marketing
– Festas e eventos

VEM CRIAR COMIGO

61 95566785 MAIL: contatojeff@outlook.com

Não repare a bagunça! Estou organizando

notebook

Não repare amigo leitor! Você deve estar notando que algumas coisas saíram de ordem aqui no blog. Esta semana estou finalmente alinhando os assuntos para que a busca fique mais fácil.

Agora, lá no menu superior você já vai encontrar assuntos por título. Devido o aumento da movimentação aqui no espaço essa mudança deixa tudo mais organizado. Continuem visitando e em breve mais conteúdo pra vocês.

Abração, Jeff Lima

Cobertura – David Guetta Listen

Na última madrugada de sexta para sábado, o Brasiliense pode curtir um show com um dos melhores Djs do mundo. O francês David Guetta, que atualmente está em turnê internacional do seu mais recente trabalho, o álbum”Listen”.
Marcado para o dia 16 de janeiro(sexta), milhares de pessoas lotaram o Pavilhão de Exposições do Parque da Cidade e fizeram o aquecimento com os Djs Morgana, Dj Alok e Dj André Pulse, atrações brasileiras que agitaram bastante a galera antes do show principal.
Jovens e todas as idades e localidades do DF marcaram presença e mostraram muita energia durante todas as apresentações. A participação do público de Brasília foi constante desde os shows dos Djs Morgana e Alok e explodiu quando David Guetta subiu ao palco.
O Show de Guetta durou aproximadamente 3 horas, e nesse tempo vimos o público enchendo o ambiente de alegria, sorrisos e diversão. Informações oficiais não registraram nenhum conflito grave. As ocorrências em volta do evento foram leves, como excesso de bebida alcoólica e perda de documentos e celulares. O momento mais tenso foi quando um fan, aparentemente sob efeito alcoólico escalou uma das torres e foi parar no teto do pavilhão. Ele passou alguns minutos dançando mas foi retirado pelos bombeiros.
Dentro do pavilhão, ambiente seguro, organização e qualidade fizeram da passagem do Dj em Brasília um evento que sempre será lembrado. Houveram reclamações quanto aos preços praticados na alimentação e bebidas, excluindo isso, foi mais uma noite de diversão e atração internacional em Brasília!

O Rock DF agradece a produção e assessoria da Um Nome Comunicação pelo credenciamento e esclarecimentos sobre o evento.

Coberturas – Porão do Rock 2014

Nos últimos dias 30 e 31 de Agosto ocorreu no DF, assim como em anos anteriores, o Porão do Rock. O festival é um dos maiores do gênero no Brasil e sempre traz atrações  que se destacam no cenário local e nacional. Este ano 35 bandas foram divididas em 3 palcos. Os mesmos completavam uma estrutura com área de alimentação, camarotes, backstage, bares e sanitários para atender ao público.
Muito bem organizado e seguro, o Porão do Rock 2014 alegrou o fim de semana. Rockeiros de toda a cidade e de todas as idades se encontram para festejar, assistir aos shows e encontrar os amigos. No primeiro dia de shows (sábado) os portões foram abertos por volta das 16:30h e desde cedo, os rockeiros e suas roupas pretas já marcavam presença, principalmente no show da banda “Arandu Arakuaa“abrindo o palco Uniceub, um dos destaques deste ano. Ao mesmo tempo, “Seconds Of Noise” e “CasaCasta ” inauguravam os palcos Budwiser e Chille Beans.
Com a chegada da noite mais bandas tocaram o terror. Foi a vez das bandas “Facada” direto do Ceará, “Terror Revolucionário” “Farm from Alaska” Rio Grande do Norte, “The Evil Rock“, “Scalene“, “Nação Zumbi” de Pernambuco, “Dillo” e “Madrenegra”. A maioria das bandas são do DF e representaram muito bem a cena do rock na Capital do país.
Entre as bandas conhecidas nacionalmente estavam o “J Quest“, que fez um show cheio de energia e levantou a galera. Também houve o rockeiro Supla e seu irmão no time do “Brothers of Brazil” mandando novos e antigos sucessos. Para encerrar a festa no sábado, ainda houve a invocação do metal com “André Matos” e o rock da “Pitty“. O público cantou junto pela área do PDR canções com canções dos álbuns Anacrônico e Admirável Chip Novo.
No Domingo, uma das atrações mais esperadas era “CJ Ramone“. Rockeiros corriam e tomavam suas cervejas as pressas na área externa para entrar e não perder nenhum minuto. Os fãs cantavam e pulavam junto com a banda ,que correspondia bem ao entusiasmo da platéia brasiliense. Por falar em Brasília, as bandas locais arrepiaram!. O início do último dia teve shows com “Amnon“, “Penúria Zero“, “Dona Cislene“, “Adriah”, “Zignal“, “Bruto“, além do peso do “Cavalera Conspirancy” direto dos EUA, “Erica Martins” do Rio e os “Titãs” com o show do novo álbum Nheengatu. A “Trampa” fez um show muito bem construído e envolveu os rockeiros com músicas conhecidas, como “Te presenteio com a Fúria”.
Outro destaque do cenário brasiliense que quebrou geral foi a banda “Detrito Federal“. A banda é uma das mais antigas do cenário local e fez um ótimo show. O palco Budweiser ainda tremeu forte com a banda “Project 46” de SP que surpreendeu com peso e levada. Encerrando os trabalhos do 17ª Porão do Rock, no palco Uniceub, “Marcelo D2” e no Chilli Beans o “Raimundos” que mandou seus clássicos e novas músicas para fechar com chave de ouro a madrugada de música.
No geral, o Porão do Rock 2014 foi um ótimo evento. Tudo ocorreu na paz, sem ocorrências policiais, muito gente e estrutura de qualidade. O que peca, assim como em outros anos, é a falha no transporte público, que sempre deixa os rockeiros para dormir no chão frio da rodoviária. Lembrando que não só no Porão, mas também em outros eventos em Brasília, o sistema de ônibus se mostra muito deficiente, não supri a demanda e muito menos horários especiais. Um outro fator que não desceu muito bem este ano foram os “preços altos” praticados dentro e fora do evento. Sanduíches a R$ 15, doses de Vodka a R$ 10 e cerveja a R$ 6. Valores um tanto salgados, visto que foi não foi um evento grátis e não era permitido entrar com nenhuma espécie de bebida.
Questões a parte, a produção fez uma festa bonita e uma excelente opção para diversão na Capital. Ações como essa valorizam a cena e marcam Brasília como Capital do Rock. Nós do Rock DF agradecemos o credenciamento e o apoio da equipe PDR e esperamos estar em 2015 junto com os rockeiros de Brasília no 18º Porão do Rock. Este anos estivemos por todas as áreas, mas nos concentramos na pista, onde a alegria proporcionada pelos encontros de amigos e boa música resultaram em bons momentos.  Abaixo alguns registros da galera. Agradecemos a todos que autorizaram as fotos e também não podemos deixar de mandar um abraço especial para a moça loira no estande da Transamérica FM.

E o tal “50 tons de cinza”?

Não é um filme masculino, mas como eu não quis ficar boiando no assunto, resolvi assistir on line. Talvez alguma coisa no livro seja mais interessante, mas como vou me atentar ao filme, pois não leria o livro, não vi nada de interessante no longa.
Uma moça meio inocente no meio de um tempo de descobertas, um jovem rico e com problemas mentais (problemas em certos aspectos) e só. O filme se passa em torno disso. Ela se deixa seduzir, ele sabe que pode e lá pra frente revela os seus “fetiches” para a mocinha.
O problema é que o tal Sr. Grey é meio doido e a sua sede pelo masoquismo já havia provocado 15 rompimentos com outras “escravas”. Annastacia, a mocinha, seria a número 16.
E é só nisso que consiste o filme. Mais da metade do tempo, depois dos segredo revelado, a mocinha passa por momentos de prazer e dor, até que chega um momento em que ela leva umas chicoteadas fortes, se machuca e decide largar tudo, pegar o dinheiro do seu fusquinha e deixar o Sr. Grey, que não desceu do pedestal.
Resumindo o filme é só isso. E não tem mais nada de interessante, ou seja, é ruim mesmo.

Whatsapp | Vale apena ligar a partir do aplicativo?

image

Uma das mais recentes novidades no Whatsapp é a possibilidade de se fazer ligações de voz. Muito legal, mas vamos prestar atenção em alguns pontos;

As ligações não são comuns, como de celular pra celular. As chamadas são feitas através da internet, via dados da rede da operadora ou via Wifi.
Esse tipo de serviço, ligar usando os dados não é novidade. Aplicativos como o Viber, Line e alguns outros ja tinham essa função. Anos atrás também ja era possível fazer o mesmo usando o Skype. Eu mesmo usei muito no meu antigo Nokia E71.

Agora, será a função de chamada é uma boa opção?
Boooomm amigo leitor, a novidade não é tãããooo boa assim.
As ligações no Whatsapp consomem uma alta taxa de dados do seu pacote de internet, 1 minuto pode passar fácil dos 4Mb. Até se você não atender, só o fato do telefone tocar e aparecer aquela tela bonitinha “chamando” ja consumidos em média 100 Kb.

Um tempo atrás, quando os pacotes tinham apenas a velocidade reduzida, ao invés de serem cortados como hoje, haveria mais “graça” em usar o serviço. Minha dica, use as gravações normais de voz que seu pacote vai durar mais.

Mas se você usar apenas o Wifi, não tem problema. Use e abuse das ligações via Whatsapp ou qualquer outro aplicativo que permita a chamada de voz via internet.

Abração!

E no fim da Asa Norte | Escuridão para se esperar o ônibus

image

Não bastasse a “poética” negativa que é a situação do transporte público na Capital Federal, existem alguns outros pormenores que agravam a situação.

Na última quadra da Asa Norte (Foto), a 716, próximo ao Extra e ao setor médico os passageiros tem que esperar o ônibus em quase total escuridão.

Não existe um ponto de iluminação que clareie a área e a escuridão só não é total porque a parada é iluminada indiretamente pelo comércio que fica ao fundo.
Não fossem essas luzes o perigo seria ainda maior. Em fins de semana a situação é agravada pela demora nos intervalos dos ônibus. Essa em muitos casos ultrapassa 1 hora facilmente.

Deixo aqui um recado ao poder público. Assim como na 716 existem muitas outras paradas na escuridão em todo o DF.
Vamos tentar olhar um pouco o lado do trabalhador brasiliense, que sai para trabalhar todos os dias, enfrenta o caos do transporte público e ainda corre o risco de ser assaltado pela falta de segurança nos pontos de ônibus.
Vamos trabalhar meu povo!