Samsung Galaxy S5 é lançado em todo o mundo

Imagem

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

A versão mais recente do smartphone Galaxy S5, o modelo de primeira linha da Samsung, foi lançada em todo o mundo nesta sexta-feira (10), pouco depois de a empresa sul-coreana ter anunciado um segundo trimestre consecutivo de queda nos lucros.

O Galaxy S5 vai competir com outras empresas em um momento de desaceleração do crescimento das vendas dos celulares inteligentes, com mercados como Estados Unidos e Europa quase saturados.

A Samsung, que vendeu cerca de 300 milhões destes aparelhos em 2013, espera que o novo produto permita manter o desenfreado crescimento da empresa nos últimos anos, que a posicionou como clara líder mundial do setor.

Em 2013, a Samsung teve uma cota superior a 30% no mercado mundial de celulares inteligentes, quase o dobro da sua principal rival, a Apple.

Embora seja um grande lançamento, especialistas afirmam que falta algo no S5 para provocar o entusiasmo dos clientes e estabelecer uma diferença em relação aos antecessores e aos concorrentes, como o iPhone 5S.

“Pode nadar, mas não provocará ondas”, previu o “Wall Street Journal”, referindo-se a uma das grandes novidades do aparelho: a maior resistência à água do modelo em comparação com as versões anteriores.

“O Galaxy S5 é um bom telefone. Recebe uma recomendação incondicional”, destacou o “Washington Post”. “Mas a verdade é que não existe nada aqui que mereça o rompimento de um contrato para comprá-lo”, completou o jornal.

A unidade de telefones celulares da Samsung foi a principal força da empresa nos últimos anos, o que permitiu lucros sem precedentes, e ela precisa do S5 para responder aos pessimistas que afirmam que a companhia não tem uma estratégia clara para avançar em um mercado cada vez mais competitivo e saturado.

A Samsung antecipou esta semana previsões pessimistas para seus resultados financeiros de curto prazo.

No primeiro trimestre de 2014, prevê um ganho de exploração de 8,5 bilhões de uons (US$ 7,97 bilhões), um recuo de 4,3% com relação ao mesmo período de 2013.

O grupo sul-coreano espera, no entanto, um lucro 1,08% maior em comparação com o obtido no último trimestre de 2013.

Saturação em mercados densos
Os fabricantes de smartphones de primeira linha, que custam centenas de dólares, sofrem com a saturação de mercados cada vez mais densos na América do Norte ou na Europa, onde o percentual de usuários desses aparelhos é muito alto. Além disso, o mercado assiste à chegada de novos players, como a chinesa Huawei, que oferecem produtos de nível intermediário.

Um reflexo desta situação é o preço anunciado do del S5, inferior ao do S4. Segundo a consultoria IDC, o preço médio dos smartphones cairá em 2017 para US$ 265 contra US$ 337 em 2013 e US$ 387 em 2012.
Os sul-coreanos – sete em cada dez possuem pelo menos um aparelho – tiveram o privilégio de conhecer primeiro o S5, pois as operadoras anteciparam a data de venda no país.

Por outro lado, a Samsung trava uma batalha judicial contra a Apple nos tribunais, onde as duas líderes mundiais disputam a propriedade de licenças tecnológicas.
O último processo foi iniciado no começo do mês em San José, Califórnia.

A Apple exige mais de US$ 2 bilhões e acusa a Samsung de ter vendido nos Estados Unidos mais de 37 milhões de smartphones e tablets que violam suas licenças. Por: G1

Anúncios

Samsung, Iphone e Htc – Quem vence no teste de resistência?

Vídeo

Para usuários que deixam o smartphone cair muito no chão, o Samsung Galaxy S5 é um escolha melhor do que o iPhone 5s. Ele venceu o gadget da Apple em um teste de resistência de quedas feito pelo site Tech Smartt.

Além dos dois aparelhos, o site ainda fez a comparação usando o HTC One M8 (que, infelizmente, não deve ser vendido no Brasil). Os três smartphones se saíram bem em quedas da altura do bolso. O iPhone 5s, no entanto, foi logo desqualificado após ser derrubado da altura da cabeça.

A briga final ficou entre o HTC One e o Galaxy S5. Aqui, quem ganha é o HTC One. Para quebrar sua tela, foi preciso uma queda consideravelmente mais alta do que a do topo de linha da Samsung. Somente após cair de aproximadamente três metros, o HTC One quebrou.

A equipe do teste ressalta que ele não é exato. Dependendo da forma como o aparelho chega ao solo, o estrago pode ser maior. Cair com a tela chapada no chão, por exemplo, é morte (ou quebra) certa.